Fale conosco

Precisa de um Orçamento?

Entre em contato e venha fazer uma parceria de sucesso.

Publicado em 17 de junho de 2024
Contábeis

Quase metade dos MEIs enfrentarão multas por atraso na declaração anual

Cerca de 7,2 milhões de Microempreendedores Individuais (MEIs) em todo o Brasil terão que pagar multa à Receita Federal por não entregarem a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-Simei) no prazo, que se encerrou em 31 de maio. 

Esse resultado representa aproximadamente 47% dos MEIs brasileiros. Saiba como consultar se você tem pendências e o passo a passo sobre como se regularizar.

O que é a DASN-Simei?

A DASN-SIMEI é um documento obrigatório que deve ser entregue anualmente por todos os MEIs. Essa declaração informa à Receita Federal o faturamento bruto do ano anterior, além de indicar se houve contratação de empregados. 

 

A obrigação é essencial para que o MEI mantenha sua regularidade fiscal e continue usufruindo dos benefícios do regime simplificado.

Quem deve pagar multa por atraso na DASN-Simei?

Todos os MEIs que não entregaram a DASN-Simei dentro do prazo estabelecido terão que pagar uma multa. 

A penalidade é calculada de duas maneiras: o valor mínimo de R$ 50 ou 2% do faturamento total por mês de atraso, limitado a 20%. 

 

A multa é emitida automaticamente assim que a declaração atrasada é enviada, gerando um Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) para pagamento.

Como consultar débitos e pendências?

Os MEIs que desejam verificar se possuem débitos ou pendências com a Receita Federal têm duas opções práticas para realizar essa consulta:

Consequências por atraso na DASN-Simei

Entregar a declaração anual fora do prazo estabelecido pode acarretar diversas consequências. Entre elas, a aplicação de multa, que varia de R$ 50 ou 2% sobre o valor dos tributos declarados por mês de atraso, limitado a 20% do total devido, além de juros proporcionais à taxa Selic.

Além disso, a não entrega da DASN-Simei deixa o MEI com pendência fiscal junto à Receita Federal. Essa situação pode resultar na suspensão do CNPJ ou até mesmo na sua inativação, o que impede operações comerciais legais e dificulta o acesso a benefícios previdenciários e financeiros, como financiamentos e participação em licitações.

Para regularizar a situação e evitar tais consequências, o MEI pode optar por pagar ou parcelar os débitos em atraso. Isso pode ser feito acessando o Portal do Simples Nacional ou utilizando o App MEI, que permite consultas, regularização de débitos e emissão de guias de pagamento diretamente pelo celular.

Como se regularizar

Para evitar essas consequências e regularizar a situação, os MEIs devem seguir alguns passos simples:

Manter a regularidade fiscal é crucial para a saúde do negócio e para que o MEI continue a aproveitar os benefícios do regime simplificado. 

 

Com a alta porcentagem de microempreendedores em atraso, é essencial que esses profissionais busquem regularizar sua situação o mais rápido possível para evitar complicações maiores com a Receita Federal.

Compartilhe nas redes sociais
Facebook Twitter Linkedin
Voltar para a listagem de notícias